Arquivo da categoria: Grécia

5 Praias de Água Cristalina e Algum Sossego Próximas da Civilização

1.     Praia Brava, Búzios, BRASIL

O acesso é só de carro. Há dois hotéis no lugar, mas um é butique – ou seja, menos gente. Há um caminho de pedregulhos levemente arriscado para se chegar à parte ampla da praia, de mar calmo, com poucas ondas e areias nas cores branca e rosa. Sim, rosa.

2.     Praia de Elia, Mykonos, GRÉCIA

De carro, de ônibus ou lancha, o acesso é garantido, mas a frequência é suave. Sofisticada como quase todas as praias da ilha e ainda preservando p ambiente de quase todas as ilhas gregas: relaxado. Quem quiser ficar pelado fica. Quem quiser fumar fuma. Quem quiser beber bebe. Cada um na sua. Os únicos restaurantes da região são bons, mas  caros para os padrões gregos, mesmo que de Mykonos. Mas valem a pena.

3.     Angra de Ipioca, Maceió, BRASIL

Acesso somente por um condomínio fechado. Nenhum ambulante, nenhum axé, nenhuma barraca, águas claríssimas e um paraíso relaxado e adulto que combina até com crianças.

4.     Hurghada, EGITO

Ao contrário do Brasil, toda praia no Egito é privada e paga. Ou seja, não dá pra todo mundo entrar. É péssimo, mas te condiciona a entrar para as praias de Hurghada somente através de um resort. É o Egito, minha gente, então para brasileiro tudo vai parecer de graça. A convivência com os russos abundantes na região traz um pouco do clima de Porto Seguro, com música brega… europeia. Fuja de tudo e alugue um barco só pra você para passear pelos bancos de areia. O preço é ainda egípcio.

5.     Praia dos Nativos, Trancoso, BRASIL

À direita do Quadrado, olhando para o mar, desça e rapidamente você está lá. As águas são limpas e quentes como em quase toda praia nordestina. Enorme e, apesar da badalação, ainda sossegada, a praia é deslumbrante. Se o sangue dos Jardins (bairro de São Paulo) corre muito forte em suas veias, sente num pufe branco e peça seu espumante. Se você quer se livrar até desse tipo de gente e de atitude, caminhe em direção às falésias cor-de-rosa e mergulhe no encontro de mar + rio + falésias.

Anúncios

Atenas – Dia 1 – GRÉCIA

Atenas não é uma cidade bela, mas está cheia de encantos. A começar pelos pontos turísticos, mais interessantes do que muita cidade europeia que dá tornos e entornos sobre sua própria história. Atenas não tem a pompa de Paris e Viena, não é cosmopolita como Berlim ou Londres, não é civilizada como Lisboa ou Praga, mas traz a história da civilização ocidental tal como a conhecemos.

Ao comprar seu ticket para qualquer um dos pontos turísticos situados ao redor do boêmio bairro da Plaka, atente-se para algo que nenhum grego explica: um ticket vale para os principais pontos, incluindo o templo de Zeus, a Acrópole e a imperdível antiga Ágora, que foi reconstruída pelos romanos e, hoje, abriga um parque que te dá a ideia de como era viver na cidade aos pés do templo da deusa Atena.

Logo em frente à estação de metrô Monastério, há bares no estilo da Lapa carioca. Tire os pivetes, inclua alguns punks drogados e, pronto, você definitivamente está na Europa.

Na porta do metrô, carrocinhas vendem cerejas gigantes a 2 ridículos euros por quilo.

Na rua em frente, dois dos bares mais tradicionais da cidade – com fotos de artistas e celebridades do mundo inteiro nas paredes (Naomi Campbell, Bono Vox…) – atendem turista sem exploração. Muito pelo contrário: por menos de 10 euros, você come carneiro assado por horas no limão com alho, salada de iogurte com cebola, salada grega fresca sem economia no queijo feta e ainda te dão a sobremesa de graça (em geral, o inconfundível iogurte grego servido com mel e manga).

Os giros, que são os sanduíches nas pitas, são deliciosos. O pão é sem igual aqui no Brasil. Só na Grécia fazem daquela forma. Mata a fome rapidamente, pois tem salada, iogurte e carne. E o preço é ridículo. 2 euros. E você ainda fica de camarote vendo a fauna desfilar.

Atenas – Dia 2 – GRÉCIA

Pra quem gosta de história, Atenas é um prato cheio. Seu segundo dia na cidade pode começar com um passeio no Museu Arquelógico de Atenas. Ele não fica numa região muito bonita da cidade, então vá de dia e não se espante com as pessoas fazendo suas necessidades ao ar livre no entorno. O que está dentro do museu vale a pena ser visitado.

De volta à Plaka, que é onde estão os turistas, um passeio interessantíssimo é pela parque onde os gregos reconstruíram a antiga Ágora. Pelo parque, com palácio, fórum e templo, dá para ter uma ideia de como era a vida em meio à cidade arquitetada pelos gregos.

File:AgoraAthens5thcentury.png

Ali perto, você chega à rua Mitropoleos, que, apesar de turística, concentra variada culinária grega, típica, saudável, gostosa e barata. Se cansou dos kebabs (que custam em torno de 2,5 euros), você pode puxar uma cadeira na rua e comer no Thanasis.

O carneiro cozido com batata e alho e o iogurte grego com mel de sobremesa vão ser os 8 euros mais bem pagos da sua vida 🙂

Se seu apetite por doce continuar, mais à frete, subindo à Mitropoleos em direção ao palácio presidencial, há lindas lojas de doces. Se estiver quente, prove a bebida amada pelos gregos: um café gelado, que você toma em qualquer lugar.